terça-feira, 12 de abril de 2016

Despedida


Adeus a todos
Adeus para os hipócritas
E para os que sonham sê-lo
Adeus para os cavalos de Tróia
Adeus a todos
Adeus para os que lambem selo
E aos que comem sebo
Adeus para os presentes de grego
Adeus
Adeus para o céu
Adeus para a lua
Adeus até para os desvelos
Para os mistérios de Deus
Para os dízimos
E os dizimados
Adeus para os hipócritas
E para os que sonham sê-lo
Adeus pra mim mesmo
Senhor da paráfrase
Instrutor do poema
Pai do eufemismo
Crente da arte
Escravo das tradições burguesas
Adeus
Adeus para todos
Adeus para a família
Para a religião
Para a pátria
Adeus para os sonhos de coletivo
Adeus a toda ideologia de esquerda
A algum marxismo que ainda em mim resida
Adeus ao cinismo
Adeus à incoerência
Adeus à divagação
À vida
A toda ideia reprodutiva
A todo clamor popular
Adeus aos livros
Adeus aos parágrafos
Adeus ao destino
Entro descompensado no domínio do breu


Raphael Vidigal

Pintura: obra de Artemisia Gentileschi.

Seja o primeiro a comentar

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO