terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Desfile


Entre ampolas e ampulhetas caminha
com o amparo do toco de braço que lhe
resta. Os olhos contém dois furos cujo
fundo é preenchido por um vermelho e
azul raio. Planta bananeira com o único
toco de braço que lhe resta. Assim nas
pernas podem se ver duas rendas: uma
azul e a outra vermelha. A água desce do
corpo até o intestino grosso, aonde dá uma
volta e amarra-se de novo cabeça. Sobre
cujo contorno assemelha-se a um chapéu.
Com a fúria de um cão sem dono exibe uma.
Mantém no lábio modesto um sorriso tétrico
de carnaval
             entre ampolas e ampulhetas



Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Francis Bacon. 

Carnaval


Não sou diário
Nem sou diurno
Nem sou noctâmbulo
Porém não durmo
É que ao contrário
De ser profundo
Eu entro raso
No absurdo


Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Di Cavalcanti. 

A Escada


- O mundo é uma escada cada vez mais íngreme.
                                (rampa)
- Deus é uma distância impossível de ser escalada.



Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Michelangelo.


sábado, 11 de fevereiro de 2017

Tempo de amor


se me fosses dada a chance de outra vida
(outra máscara, outro dom)
dirias: não precisa...
tenho todas numa só

cada metro, cada fita
mede um tempo de amor
(tempo sonho, em dó menor)
entre os desejos de ficar
e os de dispor


Raphael Vidigal

Imagem: escultura de Camille Claudel.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

destino


ninguém nos alcança no ponto nevrálgico do esquecimento
no ponto em que o terror torna-nos martelo – pois para o ser
que temos nada mais existe além de um sono lento – somos
só o ranger de dias macilentos a desembotar em fio de vento


Raphael Vidigal

Imagem: cena do espetáculo de dança "Terreiro", fotografada por Chris Birchal. 

Colóquio


O vestido vermelho escandia
as arestas;
ali
naquele
mormaço o colo o busto o laço
escandia o peito
arfava
ali naquele mormaço
o seio o útero o maço
de cigarros
o vestido vermelho entre
nós
no
cais (de quatro)
resta uma
aresta de
seu
vestido
escandinavo;
o colóquio interrompia o rumor
dos pássaros
a mão
a veia
saltava
para o mormaço
o colo busco
o laço
entre a palavra de origem e a escandinava 


Raphael Vidigal

Imagem: cena do espetáculo "Colóquio Sentimental", fotografada por Luana Aires. 

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Sina


Aceitar o silêncio.
Aceitar o frio.
Aceitar o corpo condoído.
Aceitar o escuro.
Aceitar o vazio.
Aceitar a revolta.
Ter numa mão o desespero
e com a outra o estar contrito.
Aceitar a derrota. Aceitar o medo.
Aceitar o frio.
Mas não sem enfrentar a chibata
não sem estar comovido.


Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Delacroix. 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Prelúdio


Antes de ser                                        Antes que seja tarde
                dissolvo                                                escuto

Antes do sol nascer                             Antes de ser poema
                           me ponho                                             estou morto





Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Mondrian. 

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO