sábado, 23 de abril de 2016

Derrisão


Esse espaço em branco
Está aqui para ser preenchido
Com um poema
Que diga
Que a vida é bonita
E que a morte não é inimiga

Esse espaço em branco
Está aqui para ser preenchido
Com falsas esperanças
Muitas cicatrizes
E as flores de todo dia

Esse espaço em branco
Está aqui para o sacrifício
Como um poema
De Ana Cristina Cesar
Um filme de Ingmar Bergman
Uma doença, uma berne

Esse espaço em branco
Está aqui
Mas não deveria
Seu destino era ser cingido
Pela espada dos anos
O crespo terror das verrugas
E a esperança dos lírios


Raphael Vidigal

Imagem: retrato de Arthur Rimbaud. 

Seja o primeiro a comentar

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO