segunda-feira, 18 de janeiro de 2021

espiral

 


todo dia tem outro dia dentro

espremido ou longitudinal ele

se recolhe no momento em que

outro dia nasce com mais um dia

dentro: a casca de ovo de ontem

a gema prestes a explodir como

um sol abrasador são fragmentos

de um tempo que por aqui passou

antes de nós mesmos e todo dia

de enterro contém o berro do novo

bezerro cada abrir de olhos para

a manhã fresca é curado pela noite

da perda como a cada vez que te

penso informo o poema do recomeço


Raphael Vidigal

Pintura: obra de Mark Rothko. 

Mapa

 


Nunca dê por morto

um bicho que ainda vive

tenha ele as esperanças

destroçadas como a América Latina

ou o crânio esmagado como um indígena

decepadas as duas pernas e os braços

presos numa árvore que balouça no inverno

rígido ou ensopado numa poça de sangue

como um reles mosquito com as asas ao

alcance das patas de um urso tibetano faminto

os olhos abertos porém indiferentes e vazios

a boca branca de um mingau empapado

e as narinas fechadas por tocos de algodões

embebidos numa substância química

nunca dê por morto um bicho que ainda vive

ao menor relance no ínfimo da agulha que pinga

a gota pela seringa os olhos espasmam a boca

baba os braços desprendem as pernas tremulam

a farinha do crânio se ajunta feito o rabo à lagartixa

e o mosquito injeta no urso tibetano faminto o soro

da esperança que destroçou o sonho da América Latina


Raphael Vidigal

Pintura: obra de Caravaggio. 

angelical

 


...um pingo de chuva sob a luz

:ainda quer fazer rodeios sobre a asa?


Raphael Vidigal

Pintura: obra de Miró.

campos

 


o idílio vive no cílio do lírio como um colírio


Raphael Vidigal

Pintura: obra de Picasso.

peso

 


carrego meus mortos comigo

um na algibeira, a outra no ouvido

não renego deus, tampouco o admiro

...apenas duvido...

 

carrego meus mortos e sigo, convicto

na moleira vão os olhos cerrados dele

ao solstício sinto os lábios frios dela

...somente suspiro...

 

carrego meus ossos, carnes e peles

marcado de aço, fuligem e remorso

entre a sua origem e o meu destino

estou mais com os mortos do que com os vivos...

 

Raphael Vidigal


Pintura: obra de Monet.