sexta-feira, 26 de maio de 2017

Augúrios


Durante a nossa vida iremos conspirar contra o governo
E ter sonhos de que um dia venceremos
Durante a nossa vida vamos avistar a mulher amada
E acreditar até o fim que ela é perfeita
Durante a nossa vida mais que tudo perderemos nossos ganhos
Uns amigos, pais e mães, e as namoradas
Durante a nossa vida talvez o tempo nos escape sem alarde
Já que as máquinas abafam o som dos pássaros
Durante a nossa vida nenhum dia terá fim e nem começo
Será tudo a espera doce e triste do milagre


Raphael Vidigal 

terça-feira, 9 de maio de 2017

Camurça


A decomposição do corpo em descanso.
A boca na varanda, os olhos no sobrado.
E toda a sala ampla iluminada de órgãos.
A decomposição do corpo está impassível.
Não se exaure. Há gritos no porão. E choro
No sobrado. Soluços na varanda. Porém no
Vão do sótão a mão é inerte, e nada afaga. A
Sala iluminada engole o corpo igual camurça.


Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Helena Almeida.

segunda-feira, 8 de maio de 2017

Resíduo


Aceita as ilusões
e a dor que elas te trazem
Sempre fica alguma coisa
na derrota, no naufrágio
como o tártaro no dente
como a crosta que se instaura
como o lodo em nossos lagos –
o que há no fim do copo
é tão somente a ilusão materializada
pois bebe o vinho
e junto engole a vã ressaca –
que é dos mares: ou deixa que o concreto anestesie a sua alma


Raphael Vidigal

Imagem: Obra de Adriana Varejão.

papiro


a morte olha de soslaio
a vida entra de esguelha
entre o berçário e o enterro
nossos sonhos são
papeis de
vento

Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Frida Kahlo.

Visão


Tudo está envelhecendo
O bolo de maçã
O asno
O feno

Nada fica sempre pleno
A hora
O nascimento
O beijo

Tudo fica sempre pleno
Nada está envelhecendo

A hora da maçã
O bolo de beijo
O nascimento do feno...


Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Cézanne.

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO