sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Tatuagem


De tanto
dar murro
em ponta de faca

Abriu
o coração
com a unha

Canivete = Figura de linguagem

Murro – M = URRO



Raphael Vidigal

Imagem: obra de Paul Cadmus. 

Verdade


O menor barulho desperta o elefante.
Nenhuma árvore é alta o bastante para que não suba a formiga.
O cachorro enxerga melhor com as orelhas.
A cobra escuta pela barriga.
O lobo detecta a morte com o dente.
A vida na flor é imóvel e resiliente.
(a abelha cobiça o seu sabor pelo cheiro)
Assim como São Francisco
poetas estão próximos dos bichos...



Raphael Vidigal

Pintura: obra de Artemisia Gentileschi. 

Colina


Por vir ao mundo como um velho,
nasci saudoso.
E com a saudade eu trouxe as dores
que conhecia de outras nuvens.

O que em meu rosto é ruga,
marca e fundura
não é senão o tempo de outros mortos
já enterrados em meu peito jovem...



Raphael Vidigal

Pintura: obra de Odilon Redon. 

Sem título (provisório)


Flexão:
Quem não se acha um engodo,
Está enganado.

Inflexão:
Quem não se considera um engodo,
Está enganando.

Reflexão:
Crer ou não crer,
Eis o engano.



Raphael Vidigal

Desenho: obra de Giuseppe Arcimboldo. 

Harpa


Ninguém abriu a porta do meu sonho.
As paredes brancas só refletiram de
Soslaio o sol. As marcas dos pingos
Das chuvas permaneceram e cravaram
Mofos sobre o interior do quarto amplo
Desinfetado e anestesiado com o pavor
Do branco que é a ausência médica
E cirúrgica.
Permanece só feito órfão
o sonho feito de vértebras
e músculos
que agora baba
e
mal sustenta
o peso da dentadura
na boca feito quarto branco

Ao fundo o som de uma harpa lembra a promessa dos anjos...
Ninguém abriu a porta do meu sonho. Só a chuva encosta o seu
busto na maçaneta ainda intacta à espera do roçar do outro, pois
o sol é apenas um reflexo na superfície branca e inanimada como



Raphael Vidigal

Pintura: obra de Marc Chagall.