quinta-feira, 26 de junho de 2014

Hilda Hilst


a abóbada celeste
    tão abobada
           
nem azul nem oeste

está no meio do nada.


Raphael Vidigal

Pintura: "o sol vermelho", de Miró. 

quinta-feira, 19 de junho de 2014

Fita métrica


Boca fechada não entra mosquito,
Língua de sogra é igual bueiro.
Eu entre o azul e o vermelho, escrevo:
Muito de mágoa e um bocado medo.

Raphael Vidigal

Pintura: "A Criança Doente", de Edvard Munch.  

quarta-feira, 18 de junho de 2014

Sentimento grego


Esse sentimento grego
Não é maquiavélico
Nem é platônico

Esse sentimento grego
Não veio de Eratóstenes
Frazão
Nem de Pilatos, o
Pôncio

Esse sentimento grego,
É a vontade de tomar um iogurte.

Raphael Vidigal 

Pintura: "Natureza morta", de Marc Chagall. 

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Poesia não é ciência


O momento que dura um segundo
É um momento eterno.
Quando a agulha penetra a veia,
Quando o amor morre em acidente,
Quando o esperma alcança o ventre.

O momento que dura um eterno
É um momento ventre.
Quando a agulha penetra o amor.
Quando o acidente alcança a veia.
Quando o esperma fecunda um momento.


O momento que dura um segundo é um momento.


Raphael Vidigal

Pintura: "Sol da manhã", de Edward Hopper. 

terça-feira, 10 de junho de 2014

No fundo do quarto do quartzo quadrado


Abro a minha gaveta
De livros e remédios.
Bebo a página,
Leio a bula,
Engulo os comprimidos
E as estruturas:
Verbais, inflexivas e de concordância.
Louca ou sã,
Doente ou sóbria:

                                   é literatura.

Raphael Vidigal

Pintura: "Canção de Amor", de De Chirico.  

quarta-feira, 4 de junho de 2014

Mímica


Gosto de chafurdar por amor a essa palavra.
Muito mais bonita do que a água, “insípida”.
Por isto enquanto você “lago”
Eu em charco.

Raphael Vidigal

Imagem: foto do mímico Marcel Marceau.  

Doença animal


Ora, aro

Morde?
- Claro

Chora?
- Mato!

Ama?
- Pathos,

Raphael Vidigal

Ilustração: "Retrato de Nicolò Paganini", de Edwin Landseer. 

terça-feira, 3 de junho de 2014

Pingo


O rancor escorreu...
Assim,
Quase já sem vida.
Fraco,

Mas o rancor escorreu.

E eu me indago:

- Se foi vontade do amor,
Ou até descaso,

Que o rancor escorresse...

Assim sem asa,
Assim sem pétala,
Assim sem pata,
Assim sem escama,
Assim,

Fraco.


Raphael Vidigal

Pintura: "Jovem mulher com um jarro de água", de Vermeer. 

segunda-feira, 2 de junho de 2014

Ir pra não horar


Não ameace minha liberdade.
Eu quero muito,
Eu quero o meio
E maio.

Não ameace minha liberdade.
Eu quero curto,
Eu quero inteiro
E ágil.

Não ameace minha liberdade.
Que eu te ameaço,
Imobilizo,
E saio.

Raphael Vidigal

Pintura: "Renata Borgatti ao Piano", de Romaine Brooks. 

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO