segunda-feira, 30 de abril de 2012

Moderno Século XXI:




"Em arte, só os preguiçosos são capazes de fazer alguma coisa." Jagoda Buic


- Não entendendo a repercussão

Um artista espanta-se com enorme alvoroço frente à sua obra.

- Mictório enobrece museu de Paris

Está certo que a unanimidade é burra, mas justo agora que eu precisava de repreensão?

Michel Duchamp nunca se recuperou do ocorrido.


Raphael Vidigal

Imagem: desenho do cartunista francês Wolinski. 

quinta-feira, 26 de abril de 2012

Nuances:



“(Vejo a lágrima que escorre
por cima da minha pena.
Ai! a pergunta é sempre enorme,
e a resposta, tão pequena...)” Cecília Meireles

Sujo imundo
Amarelo claro
Vermelho escuro
Gelo água
Flecha arco
Amor consolo
Luta arte
Real abstrato
Morte vida

Lanterna: A vida é perecível; A morte é eterna.
A vida é uma pequena nuance, dela.

Raphael Vidigal

Pintura: obra do artista plástico Julião Sarmento. 

quarta-feira, 25 de abril de 2012

Pensar:



“Então, uma chuvarada de lembranças que a deixou encharcada” Truman Capote

Por pudor
Por pura pena
Púrpura purpúrea
Precisou pedir:

Piedade!

Raphael Vidigal

Pintura: “Red Canna”, de Georgia O’Keeffe. 

terça-feira, 24 de abril de 2012

Canção de bolso para a noite sem calção:



“As verdades da vida são sempre ditas na cama.” Cazuza

Reclama tanto
E é só teu encanto
Que me deixa aceso
Preso aos teus falares
Heresias, e preconizas
O meu fim
Dizendo que não sei o que fazer de mim
O que serei de mim
O que serem sem mim
Pois você, quase pede a ir embora
Cada vez que eu viro a mesa.

Raphael Vidigal

Pintura: “Mulher ao espelho”, de Picasso. 

segunda-feira, 23 de abril de 2012

Escadas:



“A bela e selvagem irracionalidade da poesia refuta-os, a vocês, utilitaristas!” Nietzsche

o medíocre preocupa-se com a utilidade
os demais com a necessidade
o gênio com o frívolo
o artista com a frivolidade da beleza

Testamento Testemunho (ou Testemunho Testamento):

Não compactuarei com a Mediocridade
Se me é dado o Extraordinário
Dele farei
Mesmo que chegue em retalhos
Traga Guerras
e Malária
Ou Nada

Raphael Vidigal

Pintura: “Paisagem com pássaros amarelos”, de Paul Klee.

quarta-feira, 18 de abril de 2012

Travessura ou poesia:



Travessa
Travessa
De metal
Ou brincadeira?

Travessura
Travessia
Na bandeja
Ou poesia?

A travessa
A travessar
Atravessa
Avenida

Atrevida a poesia da menina de travessas e bandeja em demasia.

“Os caminhos dos excessos levam ao palácio da sabedoria” William Blake

Raphael Vidigal

Foto: Alice Liddell, a menina que inspirou a fábula de Lewis Carroll, ‘Alice no País das Maravilhas’. 

terça-feira, 17 de abril de 2012

Autoridade:



“Bebo essas luzes com tristeza,” Cecília Meireles


Respeito mais autoridade intelectual que física

Não respeito autoridade nenhuma

Investir-se de autoridade para declamar, proclamar, proferir é um santo

Não linearidade (sou o diabo pensamento. centro. coça.)

para que deter o controle

Para
Quê-
Dista
(dita, açoites)

Mesmo:

Mesmo não tendo orgulho,
Não sugiro (suspiro) puxar-me os cílios
Filhos, cúmulos?
Cultos.


Raphael Vidigal

Pintura: “Anunciação”, de Fra Angelico. 

segunda-feira, 16 de abril de 2012

João Pernambuco:



“a morte está respirando atrás da porta.” García Lorca

Vi João Pernambuco no banco da praça
Violão sobre os joelhos em córrego
O que espera, sentado?
Ninguém o reconhece.
Sem pressa, prazo, preza.

A gente ás vezes precisa recorrer a chavões:

Não é porque tenho
Sonhos
Impossíveis
Que deixo de Acreditar neles

Neles Acreditar de deixo que
Impossíveis
Sonhos
Tenho porque é não
(somente o Acreditar, Impossíveis, Sonhos não mudam – frase de epígrafe sobre)


Raphael Vidigal

Pintura: “Concerto Campestre”, de Tiziano. 

quarta-feira, 11 de abril de 2012

Clarice Lispector:



“Escrevo para fugir das emoções e para me ver livre delas” T. S. Eliot

Doida, doída
Tampo, estampido
O ouvido
Tampado

Tampa, suína
Grampo, grunhido
A galinha
Sobrada

Louca, subindo
Pano, espano
O ovo
Jorrá-lo
(Jo-ralo)

Prono.
Ouroboros


Raphael Vidigal

Pintura: “Desdemona”, de Frederic Leighton. 

terça-feira, 10 de abril de 2012

Carta de suicídio:



“Como é frágil o coração humano —
espelhado poço de pensamentos.
Tão profundo e trêmulo instrumento
de vidro, que canta
ou chora.” Sylvia Plath 



A Você Que Não Me Respondeu
A-
Deus.


Raphael Vidigal

Pintura: “Girassóis II”, de Schiele. 

segunda-feira, 9 de abril de 2012

Dicionário:




“tudo dito,
nada feito,
fito e deito” Paulo Leminski 

Não corra ao dicionário, procurar o sentido dessa palavra nova
Não vá ao vão da escada, aspirar o sumiço dessa estranha porta
Sente-se, com Alice no País das Maravilhas, no colo
A idéia suprime a matéria
A emoção suspende palavras e portas


Raphael Vidigal

Pintura: trecho de “O Último Julgamento”, de Fra Angelico.

quinta-feira, 5 de abril de 2012

Fogos de artifício:




“explodiu como um fogo de artifício, cada arranha-céu um projétil cascateante de cores velozes, e:” Truman Capote

Na madrugada
O dia amanhece
Não quero morrer
Não quero viver
Garçons meninos
Garotos fusíveis
Explode em constelações
No céu de novembro

Raphael Vidigal

Pintura: obra do artista plástico, José Roberto Aguilar. 

quarta-feira, 4 de abril de 2012

Animais?




“Tigre! Tigre! Luz brilhante
Nas florestas da noite,
Que olho ou mão imortal ousaria
Criar tua terrível simetria?” William Blake

Cri
Como um grilo
Coaxei
Como um sapo
Grunhi
Como um bicho
Refeição protéica
Bem
Alimentado.

Raphael Vidigal

Pintura: parte da exposição “Jardim Monumental”, de Burle Marx. 

terça-feira, 3 de abril de 2012

Política prolífica profícua:




“Eu não procuro. Eu encontro.” Picasso

Minha crítica não tem a pretensão de mudar os rumos
É apenas uma sensação
Extravasada

Ninguém deve moldar-se para o mundo
É muito mais bonito o esforço de aceitar
O outro

Quem acha que merece o ato
Mais valor que a intenção
Não percebe que atos incríveis
Consumados são, com a pior das intenções.

Raphael Vidigal

Foto: Djuna Barnes, escritora norte-americana. 

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO