quinta-feira, 25 de março de 2010

Aquele dia:



"Virava pra lá e pra cá na cama.
Estava impaciente...
Até me sentei no escuro.
Pensei: Não era uma posição o que eu procurava.
Era você" Caio Fernando Abreu


Pode ser que não haja destino, mas há acontecimentos em nossa vida que são inevitáveis.
Estávamos ali sem muita certeza de até onde iríamos.
Eu tentava explicar o peso da palavra.
Você tentava entender minha dificuldade em dizer o que é tão fácil sentir.
Envoltos por uma cortina de fumaça, dividíamos o mundo entre bem e mal, com a estupidez sensata dos corretos tomávamos o cuidado desnecessário para não ultrapassar a barreira do brega.
Você era tudo aquilo que não se pode ser, eu era nada daquilo que deveria ser.
E naquele instante de profunda incompreensão de nossos gestos, me deu o beijo que não se pode dar.

E nos demos.

Raphael Vidigal

quarta-feira, 17 de março de 2010

Deus:


Deus criou o homem e a mulher para ficarem juntos.
O homem criou a Igreja.
A mulher criou os filhos.
Ambos a separação.

Deus criou o homem e a mulher para ficarem juntos.
Homem mulher.
Mulher homem.
Palavra de Deus.
Bíblia.

Deus é preconceituoso.
O seu Deus é preconceituoso.

Eu não aceito um Deus preconceituoso.

Ora, todos sabemos que Deus é preconceituoso.
Escolhe os mais fortes, os mais bonitos, mais inteligentes, mais espertos, exclui as minorias e perdoa ditaduras.
Mas não é por isso que eU tenho que ser igual a eLE.

À imagem é semelhança.

Raphael Vidigal

Pintura: Ascensão de Cristo, de Salvador Dalí.

terça-feira, 9 de março de 2010

Pai:


Era debaixo das cobertas que se sentia protegido.
(embora ás vezes precisasse se livrar delas)
Longe das luzes, longe dos beijos, longe de tudo.
Encoberto pelas trevas de um jardim escuro.
O medo o impediu de ver a lua.
Dormiu com os óculos manchados de ar.
O ar quente que se soltou das narinas e da boca daquele pai.

Raphael Vidigal

Pintura: A Noite Estrelada, de Van Gogh.

quinta-feira, 4 de março de 2010

Peça:


O gosto de sanar a dor.
Um dia explode!
Que mundo absurdo! que me move.

Não consigo mais me apaixonar.
Eu perdi qualquer capacidade de me apaixonar.
"Estou me transformando aos poucos num ser humano meio viciado em solidão. E que só sabe escrever. Não sei mais falar, abraçar, dar beijos, dizer coisas aparentemente simples como "eu gosto de você". Gosto de mim. Acho que é o destino dos escritores.” Caio Fernando Abreu

Para mim, a tragédia é o ridículo do homem.
E a comédia, o sublime.
A comédia é uma pose.

Só é possível amar uma imagem.

Nosso amor é bonito por isso: a gente sabe ser fraco.

Escrevo em enigmas e ás vezes nem eu decifro.
Como essas duas sobrancelhas em exílio.
Essas duas sombras.
De uma face que transmite serenidade e dor.

Eu só quero uma pessoa sensível.
A gente não precisa entender tudo.

A sensação nítida de que Caio Fernando está aqui me dói.

Ver um filme me dói.
Ler um livro me dói.
É uma sensação tensa de desconforto e angústia...
à espera da consagração
eu mergulho de ponta...

Não é hora.

Essa pequena gota d’água que me molha abaixo dos ombros é responsável por minha desgraça.
o amor escorre............................................................................................................
tem que dá tempo tem que dá tempo tem que dá tempo tem que dá tempo tem que dá tempo tempo tempo tem que dá tempo tempo tempo...
nunca dá
tempo

Toda a vida experimentada num desejo.

Raphael Vidigal

Pintura: Rooms by the sea, de Edward Hopper.

terça-feira, 2 de março de 2010

Espera:


Parece que meu corpo acelerado treme imóvel, estático.
Estupro, paralisia, suicídio, beijo.
Sou eu seu beijo
Sou eu sua paralisia
Sou eu seu estupro
Sou eu suicídio
Beijo
Eu beijo a máquina do suicídio com a paralisia do estupro
A paralisia do estupro suicida o beijo
Beijo.

Ás vezes eu fico tão turbulento.

Raphael Vidigal

segunda-feira, 1 de março de 2010

Burra:


Eu nunca te achei burra porque você nunca gostou de mim.
O que mais dói é essa certeza, de que você nunca, em nenhum momento, gostou de mim.
As pessoas que eu acho burras, normalmente, são as que querem me impressionar.
As pessoas burras sempre querem impressionar com suas burrices.
Você nunca quis nada.
Talvez eu tenha gostado tanto de você por isso.
Talvez eu tenha demorado tanto a perceber sua burrice escondida por isso.

Talvez por isso eu seja um pouco rancoroso.
Doença não tem data.

Raphael Vidigal

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO