sábado, 31 de outubro de 2015

Pier Paolo Pasolini



A madrugada é minha amiga; é minha guarida; é minha inimiga.
Nela eu me deito de joelhos, de bruços;
Nela eu sou um velho,
Sou moço.
Eu sou mulher e inseticida.
A madrugada é minha amiga; minha bruxa.
Nela eu ostento louros.
Nela eu sou cavalo;
E sou louca.
Nela eu sou poeta;
E só ossos.
Na madrugada eu vivo e morro.


Raphael Vidigal

Imagem: foto do diretor, ator e poeta Pier Paolo Pasolini. 

Seja o primeiro a comentar

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO