sexta-feira, 10 de junho de 2016

Abandono


Me dói uma solidão de cactos,
A solidão da tarântula,
E dos retratos.

Dor que nasce como carne,
Espalha como pus,
Inunda igual vinagre.

A dor de todos os desertos,
Dor de todas as mães,
Dor de todos os padres.

Tormenta igual a do Criador
Que o Mundo Criou
Pra nele abandonar-nos.

É dor porém em branca cor, tem sabor de água.


Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Michel Seuphor.

Seja o primeiro a comentar

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO