terça-feira, 10 de janeiro de 2012

Doce senha:


“Na quermesse da miséria,
fiz tudo o que não devia:
se os outros se riam, ficava séria;
se ficavam sérios, me ria.” Cecília Meireles


Sua docência
Era ensinar-los a decência
Pois é grande a decadência
Que assola nossos lares

Em dias com poucos pares
Muitos ímpares se fazem
E afinal toda essa sanha
Vê no doce alguma senha
(uma destreza que resguarda)

A combater o amargo
Que revigora os incautos
Enternecidos de sapatos
Que não se calçam
Nem retornam à velha caixa
Assumida em seu armário.

Raphael Vidigal

Pintura: “A Frota Dentro!”, de Paul Cadmus.

3 comentários:

BEPClub disse...

Muito bom!
Cecilia arraza!

Excelente blog, acompanharei desde agora.

Anônimo disse...

Raphael Vidigal, sempre deixando mais interessantes as tardes vazias.

Lindo esse último post, adorei.


Anna Carolina Pinheiro Lage

Lay K. disse...

"em dias com pouco pares
muitos impares se fazem"
adorei isso! tbm curto mt escrever, você está de parabens!
beeeijos