terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Cordas:


“A gente, corpo quase corda.” Tom Zé

Se me assoprava a doce negligência das cordas...
Se me assoprava a doce negligência dos versos...

Pois o intocável é sempre mais bonito.

palavras são para serem sentidas tanto quanto sons, imagens, mãos

Entre o cuidado e a
liberdade há que se haver uma intersecção.

“E o primeiro verdadeiro silêncio começou a soprar.” Clarice Lispector

Raphael Vidigal

Pintura: “Still-Life: Le Jour”, de Georges Braque.

4 comentários:

Guru do Metal disse...

ficou bom! gostei!

Anônimo disse...

tom zé é foda demais , n´´e?
nao sei se ele é louco
gênio
drogado
ou tudo misturado

ou
lindo post
e é a maior verdade
palavras que nao sao sentidas
são só palavras
não trazem segurança
e sim, o intocável é sempre mais bonito.

Anna Carolina Pinheiro Lage

Anônimo disse...

mas ontem mesmo eu tava pensando sobre isso
q vc disse no post
que o intocável é sempre mais bonito
eu to fazendo estágio no hospital das clinicas neh?
aí fico vendo lá , digal
o povo miserável msm
com um sorrisão na boca
e a boca sem nenhum dente
as mulheres com 6, 7, 8 filhos nas costas
com uma alegria
sei lá
isso na maternidade neh?
pq no PA é só desespero
daí eu comecei a reparar
o povo pobrão mesmo
os pedreiros lá das obras
os mendigos dividindo a comida embaixo da árvore na pracinha
todos eles como se assim
sei lá
a vida é aquilo e pronto
e eles mó de boa
eu acho
q a felicidade
mora
na mediocridade, véi
era isso, q eu tava querendo falar.
pq assim...
qnto mais a gente conquista
mais a gente quer
e tá sempre
sempre insatisfeito
sei lá, eu queria entender como esse povo enxerga a vida.

Anna Carolina Pinheiro Lage

Pollys disse...

Que maravilha! É impressionante como assenta sempre...