quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Expectativa


Não tenho mais nada o que dizer.
Eu simplesmente não esperava
por isto naquele momento.
Não foi a primeira vez, nem a última.
No entanto,
por mais irreversíveis que as nossas perdas pareçam
a vida sempre continua.
E o que parece uma condenação serve-nos de consolo.
E o que parece que foi ontem, e o que parece ser agora
projeta-se no futuro. Como um clandestino espelho vazado: mirando-nos:
Há sempre alguma coisa acontecendo, mesmo que dentro,
onde as águas aos olhos estrangeiros pareçam imóveis...




Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Monet. 

Seja o primeiro a comentar

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO