sexta-feira, 18 de março de 2016

Golfinhos


Alessandra
Dizia-me que o teu nome não era poético,
Mas como, se mesmo sem o desenho fonético
Deixava-me o coração apoplético?
Alessandra, Alessandra
Como dizer que não há poesia
Nos teus olhos que há pouco me continham
E nessa trégua, entre nós dois, sem destino?
Alessandra, Alessandra, Alessandra
Mesmo sem rima
A ti o meu coração se
Destina.


Raphael Vidigal

Pintura: "Os Amantes Felizes", de Fragonard.

Seja o primeiro a comentar

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO