sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Muda (na permanência):


“o que permanece, fundam-no os poetas.” Heidegger

Não ao contemporâneo
Nada ao ineditismo saliente
Quero tudo aquilo
Que traga,
Uma noção de eterno

E permanente!

Muda – calada
Muda – de flor
Muda – pra sempre

a flor entre o nada e o sempre

Muda
Muda
Muda

Raphael Vidigal

Pintura: “Natureza Morta para Picasso”, de Caulos.

4 comentários:

Guru do Metal disse...

poesia legal

Alessandra Rezende disse...

Adorei a relação
muda com mudança e flor!

A coisa mas permanente na vida é a mudança.
Já dizia alguém...

eumacleamaral disse...

LINDO TEU BLOG MEU AMIGO,
ELE É COMO O MEU BLOG
TAMBÉM SOBRE POESIAS,PARABÉNS!!

eumacleamaral disse...

AMIGO PEÇO DESCULPA POR
COLOCAR AQUI O LINK DO
MEU BLOG, SERÁ QUE PODE
COMENTAR E SEGUIR O MEU?

PODE APAGAR O RECADO
DEPOIS SE QUISER!!

BLOG EUMACLE POESIAS
http://eumacleamaral.blogspot.com