segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Boca:


“Meto-me dentro de mim mesmo e acho aí um mundo!” Goethe

Morde a polpa
Escorrem confetes e serpentinas
Lânguida lambuzar de fé
Melando fulgor repentino
Irresistível água na boca

Raphael Vidigal

Pintura: “Sem título I 1977”, de Willem de Kooning.

4 comentários:

Divulgação brasil disse...

mUITO BOM GOSTEI E A FIGURA ABSTYRATA ILUSTROU BEM!

eumacleamaral disse...

não entendo nada de arte
mais posso dizer que é
muito interessante o assunto
e que é bonito esse quadro
que vc postou!!

Alessandra Rezende disse...

Gostosa sensação!

luu disse...

posso dizer que o poema me trouxe a imagem de carnaval, ou está muito errado?
eu gostei, me fez criar toda uma história com poucas palavras.