terça-feira, 30 de agosto de 2011

Passarinho anarquista:


“A alma adora nadar. Para nadar, há que deitar-se de barriga. A alma despega-se e parte. Parte a nadar.” Henri Michaux

Passarinho que nada no mar
Quer morrer?
Quer morrer?
Passarinho que nada
N’água
Passarinho sem asa
Bico de nuvem salgada
Quer morrer?
Quer morrer?

A anarquia só pode existir se ela não existe.

Pintura: O pássaro inoperante, de Albert Pinkham Ryder.

Música: A Floresta do Amazonas, de Heitor Villa-Lobos.

Raphael Vidigal

3 comentários:

Salgado disse...

To comentando, mas se fosse do jogo do Cruzeiro este post, eu saberia o que falar!

LCS disse...

Cara é legal e é difícil eu conseguir uma simetria em um texto e você consegue é natural pra você isso então o que posso falar é que gostei muito.

Anônimo disse...

kkk, gostei da piada

Anarquia = "Ninguem é mais escravo do que aquele que se julga livre sem o ser"
- Goethe

O verdadeiro passaro está dentro de nossas cabeças ...
liberdade é só lá.

Jah Bless !
Rodrigo Aroeira