quinta-feira, 24 de junho de 2010

Correntes:


“Nossa maior tragédia é não saber
o que fazer com a vida.” José Saramago


O nosso amor começou com Charles Chaplin.
Depois de um tempo apareceu Oscar Wilde, e logo em seguida, Caio Fernando Abreu.
E nós ali, tateando no escuro, tentando ver o que era ficção e o que era eu você nós dois.
Nunca tivemos certeza, mas acho que por algum momento chegamos a sentir nós dois naquele dia.
Não foi quando sua perna tocou a minha nem quando eu ri nervosamente tentando disfarçar o meu estado já alterado no fim da noite.
Talvez tenha sido na hora de ir embora.
De nos despedirmos.
E aquela mão ficou no céu entre nós dois tentando se prender a correntes invisíveis.
Correntes que depois nos aprisionariam e nos jogariam nisso que chamamos fim, acontecimento ou separação.
Ou mesma parte da vida. Prosseguimento da vida, eu diria.
A sua vida seguiu e eu nunca mais tive notícias.
Mas ainda guardo nesse céu invisível que há entre nós um pedaço de corrente que nos prendeu e infelizmente hoje só me resta liberdade.

Raphael Vidigal

Pintura: Lago com Nenúfares, de Monet.

10 comentários:

Musa disse...

Puta que pariu, Vidigal. Tem alguns dos seus textos que eu leio que fico boquiaberto. Profundo, emocional, doído. Genial, meu caro, genial.

Alessandra Rezende disse...

Lindooooooooooo!!!!!!!!!!!
Foi de arrepiar!!!
Sua descrição dos sentimentos é perfeita!!! De uma simplicidade e delicadeza incrível!

Eu te amo, meu amor!
Nossas correntes é o amor! E isso nao se arrebenta jamais! =)
Bjoss!

Gabi disse...

Acho q isso q eh a paixao neh....aquilo q pega, amarra e, logo, perde a graca...
Mais ou menos isso?

beejo

^^

Gabirela disse...

mas acho q seria um pouco mais intenso...medeg

M. van Petten disse...

lindo.
Descrição e imagens perfeitas.

Muito bom cara!

Alien disse...

Todo mundo acha lindo... eu tbm acho lindo, só nao entendo perfeitamente hehehehehe

Mas no meu entendimento, isso sendo contado bebado no bar, para mais uma pessoa sentindo a mesma coisa e com palavras mais simples, viraria uma música sertaneja :p

ju disse...

eeeeeeeeeeeeeeeeeeh eu amo esse quadro amo monet...tinha um livro dele minha mae emprestou pra alguem nunca mais vi ........... triste........

pois eh...lindo texto...pra mim foi intenso o suficiente...o texto bate perfeitamente com o quadro...

Paty disse...

que isso em vidi! cada dia surpreendendo mais! hahaha..adorei!

Anônimo disse...

Ooo zim, bom demais esse texto!!
achei esse um dos melhores!!
André

Ricardo Takahashi disse...

Pronto, perdi um integrante das peladas rs.