quarta-feira, 12 de outubro de 2016

Palavra


a Verdade
de que vale,
quando leva
a mortes,
destruições,
arames?
melhor
contemplar
as nuvens.
a Verdade
de que vale,
se separa,
se endurece,
se desune?
melhor
fomentar
arbustos.
a Verdade
de que vale,
se traz peste,
se tem lepra,
se põe fome?
melhor
amalgamar
os sonhos.
a Verdade
de que vale
se é moeda,
se se vende
se se compra?
melhor dar
o milho
aos pombos.
a Verdade
de que vale
se também
é invenção do homem
sendo tal
tão frágil
quanto seu punho?
antes a morte
sem Verdade
que esta vida
de Verdade
é sonho
e nuvem...
fantasia
de mentira
e verso e curva...



Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Fernando Botero.

2 Comentários:

Alessandra Prado Rezende disse...

Muito lindo!
Suave, delicado, em amor à leveza da vida.

Alessandra Prado Rezende disse...
Este comentário foi removido pelo autor.

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO