sábado, 10 de dezembro de 2011

Caminhos:


“Perdoe a minha precariedade e as minhas tentativas inábeis, desajeitadas, de segurar a maçã no escuro. Me queira bem.” Caio Fernando Abreu

Um dia você vai perceber, que as coisas pelas quais você briga não têm o menor sentido
e o amor já não adianta,
o amor não basta nada.
Pois nessa vida insuficiente completar o vão do outro é mera tentativa brusca-tola.
De repente o único caminho é insalubre,
Dilacerações, despedidas constantes, alegria em gotas
Amor aos borbotões, mas amor aos borrões.

Raphael Vidigal

Pintura: “Two Figures”, de Egon Schiele.

5 comentários:

Carolina Lima disse...

Nussa, bastante profundas suas poesias! Sucessos na divulgação de tais! Merecem ser lidas!

:**

Guilherme Augusto disse...

Por isso devemos se preocupar e importar com o que realmente nos é importante.

Daniel Silva disse...

Espero que esteja errado e que eu arrume um amor avassalador que me complete... rs

Se puder passa no meu, resolvi registrar minha aventura de decidir morar sozinho

http://resolvimorarsozinho.blogspot.com/

Larissa Matos disse...

Isso é amadurecer.
Seguindo :D
http://leituradaestante.blogspot.com/

Samira Machado disse...

Concordo com a Larissa. Muito boa a poesia!

http://thebookofmydreams.blogspot.com/