segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Tentaram me capturar: borboletas


“e você meio cego, meio tonto, só sabe que tem que continuar, meio sem esperança, as ilusões despedaçadas, o coração taquicárdico, língua seca, e continuando.” Caio Fernando Abreu

Tentaram Me Captar
Dormindo
Mas Eu,
Sonhava

Tentaram Me Captar Comendo
Eu Vomitava

Tentaram, Por Fim, Me Captar Vivendo
Enquanto
Morria

“É uma borboleta amarela? Ou é uma flor que se desprendeu e que não quer tombar?” Mario Quintana

Raphael Vidigal

Pintura: “Several Circles”, de Kandinsky.

4 comentários:

Samira Machado disse...

Muito bonita a poesia!

http://thebookofmydreams.blogspot.com/

Adriano disse...

ótimas referências cara (quintana e kandinsky), por consequencia, um ótimo texto.

abraço, poesia sempre!

Anônimo disse...

gostei
curto, grosso e mórbido
estou assim hoje.
ou vai ver interpretei do jeito que estou me sentindo.

ou seja: sempre erram o alvo


Pedro Ramos

Anônimo disse...

adorei seu texto!!!!
tentaram me captar vivendo, enquanto morria
mto tenso, mas tocante
lembrei dos elefantes q são mortos na Africa pelos vendedores de marfim (ouro branco)

Alessandra Rezende