quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Idade do tempo:


“Destruir antes que cresça. Com requintes, com sofreguidão, com textos que me vêm prontos e faces que se sobrepõe às outras. Para que não me firam, minto.” Caio Fernando Abreu

Durante um ano a gente se acostuma a chamá-lo por um nome
Água, Águia, Fome
No seguinte,
somos obrigados a adquirir novos hábitos
Sede, Vôo, Morte
E a chamá-lo, a partir desta data,
Novamente,
por uma outra, mais requisitada
definhar-se
Graça

Imagem: Obra do artista plástico Leonílson.

Raphael Vidigal

3 comentários:

DarKblog disse...

Apesar de pequeno, profundo *-*

emelianenko disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ítalo Richard disse...

Gostei da poesia sob a moldura de Caio Fernando Abreu. Muito boa sua poesia.

abraço,
www.todososouvidos.blogspot.com