sexta-feira, 11 de novembro de 2011

Lei:


“Detesto a severidade barata da ética abstrata.” Oscar Wilde

Na vida tudo compensa

Dor; alivia
Prazer; rói

Vale a pluma?
Mas tudo é compensatório
suspensório de mel e do rublo (rubro?)

Imagem: “Acrílico sem tela”, de Amilcar de Castro.

Raphael Vidigal

4 comentários:

Musa disse...

Só vale a pluma se a brisa ainda estiver soprando...

Cicero Edinaldo disse...

gostei disso! mesmo que a brisa ainda não sopre, senti-se prazer em ter a pluma em suas mãos!.
===
blogestarcomvoce.blogspot.com

Fernando disse...

É esta compensação de altos e baixos que faz da vida algo belo e maravilho.

blog@dos humoristic disse...

Gostei :)
Parabéns pelo blog ;)

To seguindo.
http://blogadosaki.blogspot.com