domingo, 29 de janeiro de 2017

Falta


Que eu esteja ausente e bem distante
Ainda vou sentir tua mão no ombro
Ainda vou beijar o teu soluço
e hei de respirar o seu perfume.

Que tu esteja ausente e em outro mundo,
Não vou nunca esquecer os nossos planos,
Jamais irei fundar outro romance,
pois tu ainda em mim me traz lembranças.

Que estejas tu e eu assim distantes...
Que a ausência seja nossa por acordo...
Não irei me acostumar a esse costume...
Ainda vou beijar e respirar – mesmo sem fome –
a falta que preenche as nossas nuvens...

pois nada é então a soma de nós dois.



Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Pierre Bonnard. 

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO