quarta-feira, 2 de novembro de 2016

lírica portuguesa


ah, os Algarves do amor
constantemente são férteis
constantemente são fósseis...

ah, as Armadilhas do amor
nelas deitamos solenes
nelas deitamos sonâmbulos...

porque o Amor do amor
é fóssil fertilizado
solenidade sonâmbula...



Raphael Vidigal

Pintura: Obra de Inimá de Paula.

Seja o primeiro a comentar

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO