terça-feira, 24 de novembro de 2015

Solidão


Uma Graaaaaaaande Solidão
Uma SOLIDÃO tão pesada que nem cabia na palma da mão
Uma Solidão tão inata que só se sabia Solidão
Uma Solidão construída
Uma Solidão apresentada
Uma hábil e espessa
SOLIDÃO
Que ao final dos dias
Esperava os aplausos
Que não haviam pra solidão
Então puxou um cigarro, reclamou um isqueiro
Que também não havia para a solidão.

Raphael Vidigal

Pintura: obra de Edward Hopper. 

Seja o primeiro a comentar

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO