domingo, 7 de fevereiro de 2010

Banheiro:


Não consigo me concentrar em um só dia.
Lembro-me de ter sido à noite.
Enrolei-o em um papel higiênico e o joguei no lixo.
Antes disso, ainda foi possível sentir em meus dedos seu corpo à espera da morte.
Ele nem se mexeu.
Some e reaparece.
O que eu busco é aquela certeza de se saber melhor que eu.
Pacto de sangue.
Sempre clima.

Eu não quero voltar nunca mais naquele banheiro.

Raphael Vidigal

4 comentários:

Anônimo disse...

Cara, a imagem que me veio a cabeça com esse texto....
Simplesmente foda esse texto!!!
Marcelleza!

Polly disse...

Que horror!!!!!
Minha imaginação foi loooooonge!
ahuahuahuahuahua
vc ta mais breve agora,oq ta acontecendo?!ta escrevenu mto mais...e reduziu o foco aki né?!
bjuuuuussssss amore artista

Ricardo Takahashi disse...

Quando vou no banheiro, faço o q tenho q fazer e vou embora. Não penso em nada

Alessandra disse...

A Marcela e eu morremos de rir !!! Nossa imaginação foi tão longe q vc nao tem idéia!!! heuehuehu
Achamos mais limpo pensar q é um cigarrinho rsrs
Adoreii!!!

bjosss!