quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Espelho:


Prometi voltar, mas não voltei.
Encostei-me à parede em canto a remoer minhas tragédias.
A desgraça tomava conta dos pulmões e eu não reagia.
Já não tinha forças.
Eu era aquela água morna do chuveiro que não esquenta e pinga confortante por mais que você precise ser queimado.
Uma água densa me molhava em sangue.
A morte me seduzia.
Pesada, doída.

Porque você sempre deixa um conflito antes de ir embora?

Raphael Vidigal

4 comentários:

polly disse...

Foi pra mim q c fez?!
Ah fooooi...eu sei q foi!
Magnifico!!!
Total melodramatico...
ando meio melodramatica.
muy bueno
bjs

Isabela disse...

viviiiiii... estou aqui novamente... pra falar novamente... que seu texto ficouuuu lindooooooo ... hauahuahahuahu... bjuuuuuuuuu

dayana disse...

Voce é o cara ! ;D kk

Ricardo Takahashi disse...

me deu uma coisa ruim por dentro. Uma vontade de morrer...
q persuasão