quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

A que não tem volta


As palavras são eternas
Pois o que é dito não se apaga
Nem na memória mais terna
Nem na lembrança escrava.

As palavras são eternas
Pois o que é dito esculpiu-se em pedra
Com as torrentes da água.

Palavras o vento leva
E a águia nos serve em casa.

O que é dito nunca tem volta
Como flecha, fogo ou anágua
Pode ser encantadora
Ou marcar como ferro em brasa.

Palavra, coisa de asa.
Coisa de Deus ou do diabo.
Palavra, vai bumerangue
E nos volta como diáspora.


Raphael Vidigal

Imagem: foto do cineasta Jean-Luc Godard 

Seja o primeiro a comentar

  ©Caminhos dos Excessos. Template e layout layla-imagem banner: tela de Salvador Dali

TOPO