segunda-feira, 22 de abril de 2019

Caçula



Para Ana Eliza Meireles Maciel

uma irmã mais nova
é sempre aquela
que pinta e que borda,
e quando pirraça
tem sempre a desculpa
de ser a mais nova...
que num certo tempo
nos olha de baixo,
depois bem de perto...
e assim como cresce
dos pés que ela apóia
na ponta com força,
também se alarga
entre laços de sangue
uma corrente implacável
e muito mais forte
que é a da amizade...
e a partir desse dia
tudo se estreita...
...tudo se encosta
o riso se encontra
de ponta a ponta...
e quando ela pinta
uma lágrima clara
também é em nós
que o borrão ganha corpo...
porém o que fica
do quadro pintado
são aqueles dias
de sol e de água,
porque a alegria
é a prova dos nove!
e afinal de contas
 uma irmã mais nova
é eternamente a nossa irmã mais nova
mesmo quando ela vai embora
ou deixa a infância...
ou vai para longe,
ou vira uma luz
no meio das nuvens
ela continua sendo a nossa
irmã mais nova, sempre a nos
olhar com aquele sorriso misto de
atrevimento e curiosidade.



Raphael Vidigal

Nenhum comentário: