sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Vidas duas entre morte de amor:



“E dei minha vida, momento a momento,
por coisas da morte.” Cecília Meireles

O homem endurecido
coração comido
alicate gangrenado
a beira do amor de morte



Raphael Vidigal

Pintura: “Thalia”, de Jean-Marc Nattier. 

4 comentários:

Chiclete de Ovo disse...

Cecília M. é uma das minhas preferidas, não gosto desses demais poetas, pois os poemas se tornaram massantes de tanto as pessoas divulgarem sem ao menos buscar um sentido ou a origem da frase. As vezes até intitulam frases de outras pessoas com nomes famosos.

Muito cultural e criativo o blog
parabéns!


Chiclete de Ovo!!! Acesse:
http://chicletedeovo.blogspot.com.br
Valeu!

cicero edinaldo disse...

Amor e morte andam de mãos dadas por uma estrada chamada vida.

Jaque disse...

Gostei especialmente desses poemas, vi um pouco da biografia de Caravaggio para ir à exposição e ele pintava a humanidade em cenas que nos deixam em dúvida se o modelo está realmente vivo! Me fez lembrar! Parabéns!

António Jesus Batalha disse...

Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa encontrar o seu blog.
Deixo a minha benção e a paz de Jesus.