quinta-feira, 27 de maio de 2010

Quinta:


“Para eles [a poesia não foi destruída pela realidade.]” Oscar Wilde
segundo rabisco de meu livro.


Era uma quinta-feira com gosto de sexta e cheiro de domingo.
Cheiro de chuva quente.
Você me disse aquilo e eu não resisti.
É incrível a forma como as formas acabam sempre fugindo ao meu controle.
E eu não consigo nunca ficar muito tempo na defensiva.
E acabo sempre me (desentregando desse jeito estúpido, infantil e imaturo.
E por isso mesmo, doloroso.
Você me disse aquilo e eu não resisti.
E começou a eclodir da minha mente tudo que eu queria falar mas não podia tudo que eu devia sentir mas não podia tudo que eu queria ser mas não deveria.
Porque eu deveria sempre lembrar que quando essas coisas começam a aparecer e a gente começa a revelá-las é porque está perto do fim.
Mas você me disse aquilo e eu não resisti.
E comecei a falar tudo que eu queria falar mas não podia tudo que eu queria sentir mas não sentiria tudo que eu queria que você fosse pra mim mas nunca seria.
E no momento seguinte você iria embora me deixando fumar aquele cigarro vagabundo à espera do próximo domingo, lembrando aquele dia.
Era uma quinta-feira com gosto de sexta e cheiro de domingo.
Seu cheiro molhado, emprestado, de chuva quente.

Raphael Vidigal

Pintura: Noite Estrelada sobre o Ródano, de Van Gogh.

9 comentários:

Aroeira disse...

bom texto.
se eu não tivesse parado d fumar,estaria acendendo um cigarro agora.
:P

DIEGO SCORVO disse...

Dizem que a vida imita a arte, mas aqui é diferente, é a arte que imita a vida. Todo dia acordo sabendo o que vou fazer, mas nunca sei como as coisas vão acontecer.
No blog do PH é a mesma coisa, sei que ele vai postar algo novo, na maioria das vezes muito bom, só que eu nunca faço a mínima idéia de como será. Pode ser uma poesia, um texto, uma canção, não importa, é algo inédito, que eu nunca vi em lugar algum.

Você é dono do seu destino, e o mais importante, é dono e senhor do seu talento. Continue me surpreendendo.

Abraços.

DIEGO SCORVO disse...

Dizem que a vida imita a arte, mas aqui é diferente, é a arte que imita a vida. Todo dia acordo sabendo o que vou fazer, mas nunca sei como as coisas vão acontecer.
No blog do PH é a mesma coisa, sei que ele vai postar algo novo, na maioria das vezes muito bom, só que eu nunca faço a mínima idéia de como será. Pode ser uma poesia, um texto, uma canção, não importa, é algo inédito, que eu nunca vi em lugar algum.

Você é dono do seu destino, e o mais importante, é dono e senhor do seu talento. Continue me surpreendendo.

Abraços.

polly disse...

"E começou a eclodir da minha mente tudo que eu queria falar mas não podia tudo que eu devia sentir mas não podia tudo que eu queria ser mas não deveria.
Porque eu deveria sempre lembrar que quando essas coisas começam a aparecer e a gente começa a revelá-las é porque está perto do fim."
Mto forte isso(o texto e o comentario do Diego)!Fiquei emocionada,nao preciso dizer nada,nao tenho palavras pra dizer qlqer coisa!

Velvet Club disse...

PH
vc me mata de orgulho cada vez mais!

Anônimo disse...

É grande a facilidade que você tem de brincar com as palavras.
Muito bom mesmo!
André

M. van Petten disse...

Sensacional o texto velho.
O jogo com a repetição ficou show.

Pedro disse...

Assim como um exímio ferreiro, você forja com extrema precisão as palavras meu velho.

Seus textos estão excelentes.

E concordo com o Toca, se eu fumasse, acenderia um cigarro e iria pra janela sentir o cheiro do domingo.

Abraços.

Rodrigo Pissolato disse...

Poxa cara, bacana o texto, hehehe não sabe da mais nova, me meti a escrever também hehehe espero que voce possa dar uma olhada, sua avaliação e seu comentário serao de grande valia! um abraço e até breve!

http://palavrasexiladas.blogspot.com